Sexta-feira, 6 de Março de 2009

 Rota do Cabo

Com a viagem de Vasco da Gama em 1497 à Índia, foi posta em circulação uma nova rota comercial: a Rota do Cabo. Esta veio substituir as rotas do Levante. Por ela chegavam a Portugal e à Europa as especiarias (canela, pimenta, noz-moscada, …), porcelanas, perfumes, cedas … em maiores quantidades, mais rapidamente logo com preços mais acessíveis.          

Quando as naus chegavam a Lisboa eram descarregadas na Casa da Índia, e daqui saíam para a Europa, nomeadamente para a feitoria portuguesa de Antuérpia.

 

 

 

 Império Português no Oriente

            Depois da viagem de Vasco da Gama os Portugueses estabeleceram-se no Oriente aí fundado um importante império colonial. Contudo contaram com a oposição de muçulmanos, turcos, e chefes hindus.

            Assim foi necessário estabelecer um governo forte sendo o poder político por vice-reis:

- D. Francisco de Almeida: primeiro vice-rei, exerceu uma política de domínio dos mares. Estava convencido que o sucesso dos portugueses, no Oriente, dependia do controlo da navegação no Índico. Por isso colocou nesse oceano uma esquadra de navios que controlava as principais rotas comerciais.

- D. Afonso de Albuquerque: segundo vice-rei da Índia, exerceu uma politica de domínio terrestre. Para isso foi:

            - conquistar territórios que eram considerados pontos estratégicos, como Ormuz (à entrada do Golfo Pérsico); Malaca (um ponto fundamental na rota do Extremo Oriente); e Goa (situada numa zona rica em especiarias) que se tornou a Capital do Império Português no Oriente.

            - criar uma vasta rede de feitorias.

            - promover alianças com chefes Indianos.

            - fomentar as tropas culturais.

             

            O comércio com o Oriente era Monopólio Régio (exclusivo do Rei); anualmente partia uma armada com destino à India.



publicado por historia8d às 09:10 | link do post | comentar | favorito

 

Rivalidades Luso-Castelhanas

- No século XIV estes dão-se pela posse das ilhas Canárias.

- No século XV a Espanha também queria participar no negócio da costa ocidental de África.

- Estas rivalidades acentuam-se, quando, em 1492, Cristóvão Colombo,  ao serviço dos reis católicos,  descobriu a América.

     D. João II afirmou que ao abrigo do tratado de Alcáçovas, assinado em 1479, essas terras eram Portuguesas, pois ele dizia que as terras a Norte do paralelo das Canárias com a excepção da Madeira e dos Açores, eram de Espanha e as que ficavam a Sul eram Portuguesas.

     Ora as terras que Colombo descobriu ficavam na parte Sul logo seriam Portuguesas.

     O Papa Alexandre VI para solucionar este conflito interveio através da bula "Inter Caetara". Segundo esta o Mundo era dividido por uma linha de Meridiano que passaria a 100 léguas a Oeste de Cabo Verde.

     D. João II não aceitou este tratado e assinou com Espanha, em 1494, o Tratado de Tordesilhas. 

 

 

 

 

 

Tratado de Tordesilhas

Segundo este, o mundo era dividido por um meridiano que passava 370 léguas a Oeste de Cado Verde. As terras descobertas, e as que ainda estavam por descobrir, a Ocidente dessa linha seriam para Espanha e as que ficavam a Oriente seriam de Portugal.

D. João II foi tão remitente na questão das 370 léguas, porque já saberia da existência do Brasil.

O Tratado de Tordesilhas instituiu a teoria do "mare clasum".  

 

 

  



publicado por historia8d às 08:48 | link do post | comentar | favorito

História
Maio 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
15
16

17
18
19
20
21
23

24
25
26
27
28
29
30

31


posts recentes

" A revolução cientifica ...

"A promoção da burguesia"...

"A arte barroca"; "A arqu...

"Mercantilismo em Portuga...

"Império Inglês"; "Comérc...

"Império colonial Holandê...

"Causas da crise do impér...

"Concilio de tento";"Refo...

...

...

arquivos

Maio 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

blogs SAPO
subscrever feeds