Quinta-feira, 14 de Maio de 2009
Império colonial Holandês
ÞRazões da isenção da Holanda:
   - Desenvolvimento da agricultura e da indústria (têxtil construção naval, etc.);
   - Desenvolvimento do comércio: o grande número de barcos permitiu aos holandeses fazer fretes baratos. Assim tornaram-se intermediários entre o Norte e o Sul da Europa.
            Do Norte traziam: cereais, madeira, têxteis.
            Do Sul traziam: sal, açúcar e especiarias de Lisboa.
            Prata e ouro de Sevilha;
   - Desenvolvimento de uma burguesia activa e empreendedora.
 
ÞInstituições de apoio ao comércio colonial:
   - Banco de Amesterdão;
   - Bolsa de valores;
   - Companhia das Índias Ocidentais para o comércio feito com a América (do açúcar e escravos);
   - Companhia das Índias Orientais para o comércio com o Oriente através da Rota do Cabo.

 

 

Promessas feitas nas Cortes de Tomar por Filipe I
   - Os impostos não eram aumentados sem o consentimento das Cortes;
   - Continuava a poder cunhar e usar moeda própria;
   - Mantinha a língua portuguesa como língua oficial;
   - Mantinha nos altos cargos da justiça da Igreja, da administração pública e do Império Ultramarino funcionários portugueses.
 
União Ibérica
            D. Sebastião, para reorganizar o império português no Norte de África, preparou uma expedição militar com destino a Marrocos.
             Devido à má organização do exército, D. Sebastião foi vencido em Alcácer Quibir.
            Sucedeu-lhe no trono o seu tio-avô, Cardeal D. Henrique, que por ser já idoso morreu em 1580, sem preparar a sua sucessão.
            Surgem assim vários pretendentes ao trono, todos netos de D. Manuel I. Deles destacamos: - D. Catarina de Bragança: esta cedeu às pretensões de Filipe II.
                                     - Filipe II de Espanha: era apoiado pela nobreza, clero e burguesia que pretendiam obter privilégios já que o império espanhol no seu poder.
                                    - D. António Prior de Crato: era apoiado pelo povo que não queria Filipe II, pois temia perder a independência.
            Este ao saber que Filipe II se preparava para invadir Portugal organizou um pequeno e mal preparado exercito que foi derrotado na batalha de Alcântara em 1580.
            Filipe II foi aclamado rei de Portugal nas Cortes de Tomar em 1581, com o título de Filipe I.

 

 

Condicionalismo favorável à União Ibérica
   - A crise do império português do Oriente e a grande posterioridade de Espanha;
   - Casamentos entre famílias reinantes portugueses e espanholas; 
   - Interesses da burguesia mercantil em particular nos circuitos comerciais do império espanhol;
   - A morte de D. Sebastião em Alcácer Quibir.

 

 

 Razões do apogeu do Império espanhol

            Entretanto, os espanhóis, que havia iniciando a expansão ultramarina com as viagens de Cristóvão Colombo (finais do século XV), descobriram e conquistaram gradualmente a América Central e do Sul (com excepção do Brasil). Fernão de Magalhães e Sebastião D’Elcano fizeram a primeira viagem a circum-navegação (1519-1522) e, com isso, os espanhóis conseguiram também a rota de Manila.
            Através destas realizações, o Império Espanhol passou a dispor dos metais preciosos (ouro e prata) da América e das especiarias orientais.
            Na segunda metade do século XVI, o Império espanhol atingiu o seu apogeu e Espanha tornou-se a maior potência colonial e comercial da Europa.


historia8d às 21:19 | link do post | comentar | favorito

História
Maio 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
15
16

17
18
19
20
21
23

24
25
26
27
28
29
30

31


Artigos recentes

" A revolução cientifica ...

"A promoção da burguesia"...

"A arte barroca"; "A arqu...

"Mercantilismo em Portuga...

"Império Inglês"; "Comérc...

"Império colonial Holandê...

"Causas da crise do impér...

"Concilio de tento";"Refo...

...

...

Arquivo

Maio 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

blogs SAPO
subscrever feeds